terça-feira, 1 de agosto de 2017

Quinta Brejinho da Costa

Num cruzeiro vínico que fiz há três anos fui convidado para visitar a Quinta do Brejinho da Costa pelo seu enólogo, o Luís Simões.
A culpa foi minha por ter levado tanto tempo a lá ir.
A Quinta do Brejinho da Costa fica a setenta e cinco minutos de Setúbal, bem perto do estabelecimento prisional do Pinheiro da Cruz e os enófilos mais antigos ainda se lembram, e bem, dos famosos tintos raros que lá eram feitos.
Chegados ao destino, entrámos na loja da empresa e fomos recebidos exemplarmente pelo Hugo Candeias.
A visita começou na zona da adega, que neste momento começa a ser pequena e como tal já está a ser edificada outra, bem mais perto das vinhas.
Passámos então à zona onde estão as barricas com os seus famosos néctares a descansar. Zona essa que este ano já tem a destilaria a funcionar.
Em seguida passámos à zona de provas, onde provámos alguns vinhos, moscatel e aguardente vínica.
Começámos a prova com três rosés da casa. 
E posso dizer uma coisa, o Quinta do Brejinho da Costa Rosé reserva 2014 é uma coisa fora do comum! Agora que anda por aí a moda dos super rosés premium, este custa metade do preço de alguns deles e dá-lhes porrada à vontadinha numa prova cega!
Nos brancos vieram os Exclusive Sauvignon Blanc e Alvarinho. Mais uma vez o Alvarinho foi o preferido da minha companheira de aventura. É tão bom que comprou logo três garrafas!
Dentro da gama Selection veio o tinto 2013. Este tinto mostra bem a sua raça. Bebe-se lindamente e vai aguentar uns anos valentes.
Os quatro convidados que se seguiram normalmente nem entram nas provas que por lá se efetuam. Tivemos a sorte de os podermos provar!
Entrámos nos topos de gama branco e tinto. 
O Comendador Costa Encruzado branco e o Comendador Costa Baga tinto.
Vinhos feitos em pequenas quantidades e de castas que normalmente não são plantadas na região.
O encruzado é no meu entender uma coisa muito, mas muito boa. Atenção produtores do Dão, onde é a casta rainha!
O tinto feito da casta Baga é outro daqueles que me vai ficar na memória para sempre. BRUTAL!!!!!!

Passámos depois ao moscatel roxo. Quem me conhece sabe que gosto muito de moscatel. E quando é desta qualidade, só posso agradecer a quem o fez!
Por fim, a aguardente vínica Comendador Costa. Foram feitas somente trezentas garrafas de 500 ml. Suave como devem de ser as boas aguardentes. Sei que numa recente prova cega com algumas das melhores aguardentes do país, ficou num honroso 2º lugar!
Eis um destino a que todos podem ir. Os pais vão e provam os vinhos, os filhos podem correr à vontade nas vinhas.
Só fico triste por esta empresa não ser ainda conhecida o suficiente e espero que os enófilos do país comecem a deixar os estereótipos de que esta região ah e tal. Como diz alguém que eu conheço, ah e tal o tanas.
Já deixou de ser um projeto para ser uma empresa com um futuro brilhante!
A todo o pessoal do Brejinho da Costa os meus parabéns!!!!!!!!!


Sem comentários:

Enviar um comentário