domingo, 14 de fevereiro de 2016

Quinta Mendes Pereira encruzado reserva 2012

Dizem os entendidos na matéria que os vinhos da casta Encruzado, e provenientes da região do Dão, só passados uns anos sobre a vindima explanam o seu melhor.
Pois isso eu não sei, visto que não os consigo guardar mais do que uns três anos desde a data da vindima.
Este já tem uma cor amarelo palha e no nariz a casta ainda está muito evidente, com aromas a citrinos.
Ainda tem uma acidez muito boa com taninos bem presentes a deixar a boca seca. Tem um excelente final de boca.

Se tiverem mais disto aí por casa, guardem uma para abrir daqui a dez anos e depois digam qualquer coisa. É que eu infelizmente já não tenho mais nenhuma!!

Domingos Soares Franco colecção privada Moscatel de Setúbal 2006

A casa José Maria da Fonseca fez há uns anos, através do seu enólogo principal Domingos Soares Franco, umas experiências com diversas aguardentes para os seus moscatéis. A partir daqui surgiram os moscatéis de colecção privada.
Este é feito com aguardente armagnac.
No aspecto visual a cor é tipo um cobre claro. No nariz as características da casta estão bem patentes, com o aroma a laranja bem presente.
Na boca está muito bom. Um equilíbrio perfeito entre a doçura e a acidez. Muito redondo e com um final longo.

Eis um excelente moscatel que não é difícil de comprar e que toda a gente devia experimentar um dia!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Quinta Brejinho da Costa tinto 2011

A empresa Resignon é a detentora da propriedade Quinta do Brejinho da Costa.
É vizinha do estabelecimento prisional Pinheiro da Cruz que em tempos já teve um vinho muito bom.
Quem conhece a zona, a sul da Comporta, sabe que os terrenos ali são do tipo areia da praia, onde os dias são quentes e as noites são bem frescas, chegando a haver diferenças de temperaturas de cerca de 20 graus!
Quando conheci este vinho disse, na altura ao enólogo e ao chefe de vendas, que precisava de pelo menos mais um ano em garrafa e não me enganei!

Em prova cega acho que a maioria iria dizer: um touriga do Dão! Mas puro engano!!!!!! Não é do Dão, pertence à península de Setúbal e vem ali da costa alentejana. Carregado na cor por causa do Alicante Bouschet tem notas de frutos vermelhos por causa do Syrah. Potente mas ao mesmo tempo sedoso. Ainda bem que tenho ali mais umas quantas para ver a sua evolução! Eis um vinho BRUTAL!!!!!!!!!!!!!!!!

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Fraga da Galhofa reserva Touriga Nacional 2010

Quanto temos amigos enófilos espalhados por todo o lado, o resultado é bebermos vinhos de diversas paragens. Vinhos esses que, se não fosse assim, nunca íamos beber em virtude de muitos deles terem produção pequena ou então não terem muita visibilidade fora da região em que estão inseridos.
Este vinho, feito de Touriga Nacional, mostra na cor acastanhada uma evolução em resultado dos quase seis anos que tem. 
No nariz, o toque floral da Touriga começa a desvanecer-se e entra por outros cheiros, tipo eucalipto. Final médio na boca.
Ainda tem acidez e taninos para aguentar mais uns anos, mas eu acho que está na altura certa para o beberem!

Agradeço ao amigo Sérgio Currais pela garrafa!