terça-feira, 29 de setembro de 2015

Espumante Terras de Demo rosé

O espumante é uma bebida que normalmente associamos a festas, principalmente aniversários e passagens de ano. 
Gosto de um bom espumante, principalmente bruto, ou seja sem adição de açúcar. 
Este espumante é rosé e tem sido desta maneira que tenho feito com que muita gente, principalmente a família que adora asti, beba espumante bruto. Feito de Touriga Nacional, tem uma bonita cor de salmão. 
A bolha é fina e constante.  Foi a primeira vez que o bebi e gostei. Acho que tem uma excelente aptidão gastronómica, ou seja é um espumante para comida, coisa que vou fazer a experiência. 
Um dia deixem os espumantes doces de lado e bebam um espumante bruto e vão ver que não se arrependem!!

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Monte da Raposinha tinto 2012

Depois de já ter bebido o 2011, eis que me chega novamente o mesmo vinho mas a versão 2012. 
Feito com Touriga Nacional, Syrah e Alicante Bouschet, este tinto alentejano do Monte  da Raposinha . Mostra uma boa cor e tem aromas a frutos vermelhos e com taninos ainda bem presentes.
O problema veio a seguir!!! Uma acidez brutal. Passados três anos sobre a colheita já não devia ter esta acidez. Será que apanhei uma garrafa assim para o marado???

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Lenda de Dona Maria tinto 2011

Vem ali de Estremoz este vinho que pertence aos vinhos D. Maria.
Este é a entrada de gama deste produtor e só posso dizer que entrada de gama!!!
Feito com castas tradicionais do Alentejo, Aragonez, Trincadeira e Alicante Bouschet.
O vinho na minha opinião está muito bem feito. Sendo de 2011, a cor faz parecer um vinho muito mais novo. 
Gostei muito e vai ser um vinho para acompanhar a evolução se conseguirem resistir na minha garrafeira! 
Será que é necessário andarem os produtores a inventarem com castas novas da moda e que na minha opinião não trazem nada de novo aos vinhos quando têm uma trilogia destas?

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Paço dos Cunhas de Santar Nature 2012

Falar de vinhos dos Paço de Cunhas de Santar é falar de vinhos muito bons. 
É um grande mas grande vinho do Dão! 
A cor violeta que mostra no copo surpreende. 
Este é um vinho biológico e como não tenho mais nenhum vinho para fazer comparação, posso dizer que venham mais vinhos biológicos. 
Notas de frutos vermelhos marcam este vinho. 
Está um vinho todo equilibrado e pronto a beber. Se tiverem hipóteses guardem uma para ver a sua evolução. 
Não tenham medo de beber vinhos velhos!!!!

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

ASF Branco 2014

Passados cerca de 3 meses de o ter provado, perdeu aquele toque fumado da barrica. 
Ainda bem para mim, porque assim dá para ver melhor a qualidade deste vinho. Feito de uma casta que não é habitual na zona, Viosinho, está um branco excelente com uma acidez muito boa. 
Acho que não vou conseguir guardar nenhuma para ver a sua evolução daqui a uns 4/5 anos!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Valdazar Bairrada tinto 2011

Não bebo muitos vinhos da Bairrada. Nem eu nem a maioria dos enófilos. Infelizmente!!!


Este pertence à empresa Campolargo e é de 2011. Quatro anos se passaram e só posso dizer que este vinho é bom, muito bom. Feito com Castelão, Touriga Nacional, Baga e Tinta Roriz. Para já tem a minha casta favorita o Castelão. Muitos vão dizer que é uma casta que não acrescenta nada aos vinhos, mas essa não é a minha opinião. No copo os 4 anos passados mostram ainda uma cor muito boa. No nariz, as especiarias do Castelão mostram-se logo, quando abriu mais um bocado, veio o toque floral da Touriga. Tem ainda uma acidez boa o que me leva a crer que ainda tem pernas para andar mais uns anos. Há e tem uma coisa que em 2011 era contra a corrente, a sua graduação alcoólica. Na altura qualquer vinho tinha mais de 13,5% de graduação, e este só tem 12,5%! 
Ainda bem que existem produtores que fogem à generalização.